terça-feira, 9 de novembro de 2010

Do livro para a web!

Hoje é dia 09, e marco missa pela morte de meu pai todos os meses, nesta data, mas vou marcar amanhã, aliás, quando é necessário, antecipo ou adio, mas sem problemas, o importante é rezar missa pra ele, e isto está a meu encargo, e não me custa.

Agora à noite comentei no blog de uma amiga, que antes de surgir a internet eu vivia lendo, lia em torno de vinte livros por ano.
Eu adorava ler, mas com o surgimento dos computadores, depois com a chegada da web, deixei a leitura de lado, e passei a navegar mais.
Ler é cultura!
Faz falta, mas eu na época que tinha um livro nas mãos gastava os olhos nele, e enquanto não terminava o livro, não parava para nada.
Eu vivia com um livro nas mãos, e levava em média dois dias para acabar a leitura.

Hoje admiro as pessoas que amam ler, que digitam por aqui sobre livros, rezenhas, etc.

E quando acabava o livro, eu passava um tempo pensando no que havia lido, se uma estória triste, sofrendo com aquilo.

Lembro de um filme que vi na USA, Homicide.
A série passava-se em Baltimore-EUA.
Um grupo de policiais da Homicídios que inclusive fizeram prisões reais.
Pelo que li, bandidos fugiam da polícia quando depararam-se com uma tomada da série, e pelo lado contrário, correndo, vinham os policiais da Homicide, e os bandidos acabaram entregando-se para os atores.
Pode isto?
Li na internet!

A prisão da médica me fez um mal tão grande, não lembro o episódio, mas fez porque no colo dela havia um bebê, sua filha, e ela iria se separar-se de sua família deixando para trás a criança e o marido.
Por um tempo, e por aquele episódio, não vi a série.

Falando em filmes vi um com Silvestter Stallone que por muitos anos não consegui ver de novo.
O filme chamava-se Risco Total.
A cena que me marcou foi ele agarrado numa corda e segurando a mão da namorada do amigo, e ela - não lembro direito - pedia para viver, mas escorregou pela luva e foi para a morte.

Não gosto de ler ou ver coisas que depois não tiro da cabeça como o caso da estudante paulista, de direito, que falou mal dos nordestinos, errou aí, mas sofro pelo que ela poderá sofrer.
Não me perguntem, mas sou assim.

Antes não tivesse sabido aquilo, passaria em branco aquela notícia até porque não tinha visto mesmo, odeio noticiários, e coisas assim.
Elas me marcam!

Há duas noites não consigo fechar os olhos, sempre pensando nas coisas que não me fazem bem, espero que nesta noite consiga dormir tranquilo.

Falando de coisas boas, passei agora à noite entre o Facebook e o Twitter, comentando, lendo, seguindo, e encontrando pessoas que não via há um bom tempo.

Estou com fome de escrever, como acho que vocês vem percebendo, os que passam por aqui, os que deixam algum comentário, mas não deveria exagerar tanto, ou não agora que parece haver melhoras, mas também não quero afirmar.

Se não gostarem do meu post favor nem comentar!

Abraços a todos, e boa noite!
É tudo que eu preciso, de uma boa noite!


2 comentários:

Guilherme Palma disse...

Eu não consigo largar o livro. Leio no máximo os blogs amigos e uma outra manchete de um assunto que esta na midia na internet. Mas de resto só livro.
Ei, seu post foi bom sim, mas eu penso diferente. Mesmo que não gostem de uma postagem, comente sim. falem mal, mas falem de mim
abraços

Gabys disse...

Queridoooooooooooooo, consegui, publiquei um post no meu blog, uhuuuuu rsrsrs.
E fiz um agradecimento a vc é claro q nunca desiste de mim rs.
Boa semana!

Template

S empre é bom mudar a cara do blog de tempos em tempos, mas achei que os templates novos, aparentemente, do Blogger, fossem manter a aparên...