sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

E o primeiro mês se foi

Passou janeiro, estamos no último dia do mês, e por aqui, no sul, Pelotas, Rio Grande, foi um calor infernal, 38, 39, 40 graus, sensação térmica de quase 50 graus, um forno, o verão sobre o Rio Grande do Sul tem sido assim e cada vez pra pior.
Mesmo tendo ido a praia em apenas três oportunidades, cada vez gosto menos, o verão foi fantástico, janeiro cheio, bonito de se ver, mas também mais calmo tudo, com exceções dos domingos.
Num deles o Cassino colocou 500 mil pessoas, depois pra sair daqui, meu irmão veio neste dia, levou três horas e meia para chegar em casa, quando leva-se apenas quarenta e cinco minutos numa viagem normal.

Quanto a mim, estou muito parado, bem mais em casa, sedentário mesmo, não saio, fico no meu espaço, e quando posso, navegando, escrevendo o mínimo, não pelos meus posts.

Começaram os campeonatos de futebol, o que é uma pena. Mal termina um e começa tudo de novo, e o Pelotas, heim, três títulos seguidos e começou o gauchão em baixa, três derrotas seguidas.

Este que é o ano da Copa do Mundo, pra mim um desperdício, pois poderiam empregar o dinheiro gasto em estádios e afins, em pesquisas para a saúde, SAÚDE, gente, não em bola, cimento, esporte, porque precisamos é de saúde, segurança e educação, para termos uma vida saudável e segura, é o que penso, é o que importa, mas às vezes penso que uma copa no país, e possível título do Brasil, também serve para desviar a atenção dos últimos acontecimentos, o que ocorreu em 2013 e que começou neste.

Não vejo novelas.
O ou os autores das mesmas, principalmente das globais, não sabem escrever um final, tem oito meses para tal, em média, para escrever uma trama, e nos dois últimos capítulos começam a atropelar tudo com cenas que poderiam ter sido levadas ao ar semanas antes.
Os vilões vencem sempre, passam a novela inteira fazendo maldade e o telespectador assistindo, contrariados, mas ali assistindo, para nos últimos capítulos serem presos, mas também não são vistos pagando pena, ver o mal o povo pode ver, saber que estão pagando, não.
Se é para ver o mal que seja por trás das grades, ou façam algo diferente, criem uma trama diferente e mais bonita, pois o crime não compensa e tem que ser mostrado inclusive nas telas.

A novela A Próxima Vítima, a vilã foi interpretada pela atriz Cláudia Ohana, a que eu lembro, e foi presa em meio a trama, e ao contrário das novelas atuais ela pagou até o final, sua vida na prisão, mas gostaria também de uma confirmação porque sei que tem várias versões e não lembro com exatidão, ao invés das novelas atuais que a maldade é jogada aos quatro ventos até as últimas cenas dos últimos capítulos, motivo que não me prendo mais em novelas, prefiro os filmes, e escolho quais os que eu quero assistir, se vai me deixar pra baixo com tramas idiotas, prefiro nem ver, seja o filme que for, o que me importa é ver algo de que goste e vá me fazer bem.

Que venha fevereiro!


Nenhum comentário:

Template

S empre é bom mudar a cara do blog de tempos em tempos, mas achei que os templates novos, aparentemente, do Blogger, fossem manter a aparên...