domingo, 24 de novembro de 2013

Falando de futebol

E o Grêmio sempre tropeçando nas pernas dos lanternas, não importa a praça que vá jogar, nem com quem, mas quando precisa fazer o resultado, complica-se mais uma vez.
Muito também pela cabeça do seu treinador por ter adotado uma retranca daquelas.
Atualmente complicando-se com todo o adversário, esta é a verdade, salvo exceções e por individualidades do elenco, e olhe lá.
Sobre o técnico não fez um grande campeonato, não mesmo, mas caiu o esquema pra ele, pelas impossibilidades de formar a equipe, e aos trancos e barrancos, e muito medo de atacar deu um passo por vez, mas podia ter ido mais além se tivesse a coragem e a vontade de vencer.
Não foi o Grêmio imortal de outras épocas e campeonatos, um time com camisa e muitas conquistas, foi um time sem vontade de atacar, isto com três centroavantes, imagina, um que deixou os gols no passado, esqueceu em alguns lugares os seus feitos e veio prometendo muitos gols, outro que sempre mostrou vontade, aguerrido, mas que depois que saiu do departamento médico não rendeu mais o que o trouxe para o tricolor, e o atacante do momento, e também da seleção chilena, este sim, e até ali, e se os gols são marcados pelo ataque, coisa rara em 2013 numa equipe retranqueira, lá está o nome do Vargas.
Imagina o Renato em 1983, um ponta agudo recebendo a ordem de recuar, recuaria?
Pois é o que ele vem fazendo ao Grêmio em 2013, um paredão, preocupando-se só com a defesa, mas sem vontade de ir além, de buscar o gol, aquela lenga-lenga que assusta o torcedor jogo após jogo.
Não dá!
Como não deu com o Zé Roberto tendo que aturar um banco, nem com a torcida gritando pelo seu nome em jogos que decidiam muito, e o todo poderoso do treinador mantendo-o no banco, e pra finalizar, Maxi Rodrigues, quando a torcida, a imprensa perguntava a Renato se começaria o próximo jogo, a resposta que dava é que não estava pronto, e que renderia melhor no banco entrando no meio do jogo mesmo tendo encantado a todos com seus dois gols de placa contra o Flamengo.
Desapontei-me com o Renato 2013, nada a ver com o de 2010, era aquele que eu queria de volta, mas que acho que ficou no tempo.
Eu que sempre pedi pelo seu nome, que sempre torci por ele, mas como torcedor gostaria de vê-lo longe da Arena Grêmio em 2014.
Quando terminou o jogo Grêmio X Corinthians, acho que pela Copa do Brasil, meu coração estava acelerado, mas com um joguinho assim imposto pelo treinador ao montar sua equipe, e o medo de levar gols, jogando por esquemas, não dá. Não dá mesmo!
O Grêmio é superior a isto.
Que em 2014 quem o treinar que seja corajoso para levar o Grêmio a grandes conquistas, como no passado, atacando sempre, porque o futebol tem um nome, GOL, jamais retranca. 
Quem não sabe disso e ganha, ganha por acaso, e para mim o Grêmio 2013 foi um misto disto, uma pena.

Nenhum comentário:

Template

S empre é bom mudar a cara do blog de tempos em tempos, mas achei que os templates novos, aparentemente, do Blogger, fossem manter a aparên...